💘 Amar é... ❤️

... fazer de todos os dias, o Dia dos Namorados!


Ahh o amor... o amor é lindo, o amor tem infinitas razões e nenhuma ao mesmo tempo. Amar é ... Amar é de certa forma inexplicável, imprescindível e formidável. Tantas palavras podem tentar definir esse sentimento, tantos gestos e atitudes, muitas vezes efusivas outras singelas e na maioria das vezes as explicações e razões calam-se diante do menor detalhe ou mesmo eclodem com tal vibração que todos os adjetivos do mundo parecem ser insuficientes.

Portanto... por este motivo e razão, afim de celebrarmos juntos mais um Dia dos Namorados, vamos falar de amor. Conhecer ou relembrar juntos; para os mais ''antiguinhos'', uma forma adorável de expressar o  amor através das tirinhas dos cartões e figurinhas, Amar é ...
Você se lembra desse álbuns figurinhas, já ouviu falar? Pois então; já ha alguns meses queria falar a respeito mas estava esperando a hora certa, e não poderia ser melhor que neste clima romântico com o Dia dos Namorados se aproximando.


Conheci as fofas figurinhas Amar é..., cerca de 1987-88 através de uma de minhas irmãs (tenho quatro), a que me antecede, esta que vos escreve é a caçulinha de 7 filhos!
Ela (minha mana) foi uma apaixonada colecionadora, tinha álbuns variados e de vez em quando ''sobrava'' uma figurinha pra mim, mas isso era raro, pois todo colecionador acaba trocando com outro as figurinhas repetidas. Eu achava lindo, ficava admirando os cromos coloridos, não podia nem tocar no álbum senão... Outro álbum de figurinhas muito fofo e também popular na época, era July Pop, mas... falaremos dele outra hora.
O tempo passou. Nem ela, ou eu, demos continuidade a coleção. As figurinhas ficaram por um tempo sumidas das bancas de jornais e acabaram sendo substituídas por outras. Eu, já na pré adolescência na década de 90, encontrei outro tipo de coleção, a de papéis de carta, muito popular na época entre as meninas e os desenhos de Sarah Kay ganharam meu coração.
Agora que já sabem como foi que ''descobri'' os ''peladinhos'', quero apresenta-los a vocês.

Há quase cinquenta anos uma jovem apaixonada, pode expressar todo seu sentimento à seu amado de uma maneira muito criativa e bem humorada, além de romântica; comprovando que realmente amar é... Inspirador! Nascia uma paixão, e com ela os tirinhas Amar é...; publicadas pela primeira vez em 5 de janeiro de 1970 no Los Angeles Times, sob o pseudônimo de ''Kim''. Logo se tornou um sucesso em mais de cinquenta países, surpreendendo e unindo casais apaixonados que se declaravam uns aos outros através das palavras e desenhos de uma artista que conseguiu captar e transmitir de forma pura e simples tudo aquilo que pensamos sobre o amor quando estamos irremediavelmente apaixonados... Ai ai...

Criado pela cartunista neo-zelandesa Marilyn Judith Grove ou Kim Grove, aproximadamente no final do ano de 1967, o casalzinho romântico de peladinhos ganharam o mundo e o coração de milhões de colecionadores apaixonados; os álbuns de figurinhas autocolantes e cartões, foram a ''coqueluche''  nos anos 80.
Kim fez os primeiros desenhos dedicados ao namorado, o italiano Roberto Casali, que logo se tornou seu esposo, ela assumia então o sobrenome Casali. Inicialmente eram tímidos bilhetinhos que ela colocava as escondidas nos bolsos dele, embaixo de seu travesseiro ou enviava a ele quando estava em viagem. As pequenas notas acompanhadas de um desenho refletiam seu sentimento em relação ao amado no decorrer de cada momento do relacionamento. O casal passou a trabalhar juntos quando ficaram noivos, em uma empresa de design, foi aí que começaram a produzir livretos com as tirinhas que vendiam a um dólar cada. Roberto viu que ali havia um grande potencial quando mostrou os desenhos de Kim à um amigo que trabalhava no Los Angeles Times.
Livro publicado em 31 de maio de 1971
Em 1970 o sucesso do filme Love Story, contribuiu para que os produtos Amar é... ganhassem asas pelo mundo. O slongan do filme; ''amar é nunca ter que pedir perdão'' em tradução livre para o português, coincidia com o cartão; ''Amar é... ser capaz de dizer que está arrependido.'' Esta tornou-se uma das charges mais famosos em todo mundo. No auge do sucesso nos anos 70, o casal Casali faturava cerca de £ 4-5 milhões por ano. A partir de então, uma verdadeira ''enxurrada'' de produtos dos ''peladinhos'' invadia o mercado com camisetas, bonés, agendas, cadernos, pôsteres, álbuns, canecas e diversos outros presentinhos licenciados com a marca Love is... by Kim.  
Amar é... uma parceria lucrativa!!
Publicado em 2004
Publicado em 2006
Publicado em 2011

Em 1975, Roberto Casali foi diagnosticados com câncer em fase terminal. Kim, para dedicar-se integralmente aos cuidados do marido e dos dois filhos, afastou-se da criação das charges e o cartunista Bill Asprey assumiu em seu lugar sob assinatura dela. Em março de 1976, Roberto faleceu.
O casal havia planejado ter um terceiro filho, prevendo o pior, Roberto teve a sensibilidade de armazenar seu esperma prevendo que não seria possível sobreviver a doença. Dezesseis meses após sua morte, nascia então o tão sonhado bebê, Milo Roberto Andrea, no dia 10 de julho de 1977, concebido através de inseminação artificial que na época foi motivo de polêmica na Europa. Enquanto a imprensa Britânica tratava o caso como um milagre e uma grande expressão do amor entre o casal, a Igreja Católica pronunciou-se duramente através do L'Ossevatore Romano, jornal do Vaticano que publica oficialmente discursos e atividades da Santa Sé e do Papa; em nota, disse que o caso era ''uma afronta a moral do evangelho''.
Em resposta as críticas recebidas, a Sra. Casali disse: ''Milo está aqui por causa do amor entre sua mãe e seu pai. Se isto for julgado como errado, o mundo perdeu o senso de proporção. Nos tentamos ter um bebê por inseminação artificial antes de Roberto morrer. Se tivéssemos obtido sucesso, ele teria sido concebido ainda durante o matrimônio, que diferença faz se a concepção ocorreu após a morte de Roberto? ''
No ano de 1996 em uma rara entrevista, Kim foi indagada a respeito de um caso semelhante ao dela a respeito da inseminação após a morte do cônjuge de Diane Blood, ao que ela respondeu: ''... lamento o envolvimento dos tribunais no caso da Sra. Blood, tais assuntos deveriam ser tratados de forma privada.''
Kim Casali faleceu no dia no dia 15 de junho de 1997 também vitimada por um câncer.
Após a morte da mãe, Stefano Casali assumiu a empresa que gere os direitos intelectuais da franquia Love is..., e Bill Asprey que desde 1975 assumira a criação das charges, continua desenhando e escrevendo-as.

                          Kim e Roberto                                   Kim e os filhos Dario, Stefano e Milo                                        
Incrível como as mais belas histórias de amor são tão envolventes e muitas vezes tão polêmicas. No caso dos Casali, o que poderia ser o fim de uma história, tornou-se não apenas um grande negócio entre a família mas principalmente uma lição de vida. Em um tempo em que os relacionamentos são tão superficiais e passageiros, o amor de Kim e Roberto foi além dos limites impostos pela doença, pelo tempo e porque não dizer, pela morte. Através dessa linda história vivida por eles, podemos refletir que amar é muito mais que dizer eu te amo, amar é insistir, persistir, resistir, lutar, cultivar, aprender, perdoar, crescer; juntos, aconteça o que acontecer. Podemos até mesmo reaprender a amar. Que amar é inspirador, divertido, irresistível, difícil e prazeroso. Amar é reconfortante e recompensador por si só, o amor é paciente, benevolente e rompe qualquer barreira. 
Que neste Dia dos Namorados e pelos próximos, cada um saiba apreciar a pessoa que tem ao seu lado assim como esse belo exemplo desse casal, então, cada um de nós construíra para posteridade sua própria história de amor que dará continuidade a frase amar é...

Veja mais tirinhas Amar é... acessando Soul Retro no Flickr

Obs.: As tirinhas publicadas no Flickr estão em inglês com tradução para o Port/Br. São mais de 200 imagens fofíssimas pra você se inspirar e compartilhar. Acesse!

Para saber mais sobre a história do Loves is..., visite o website oficial. Lá você encontrará tudo a respeito, inclusive instruções sobre o aplicativo que poderá baixar gratuitamente em seu iPhone e assim compartilhar com quem ama os mais lindos cards vintage e atuais da coleção.




Soul Retro

Muito obrigada por sua visita, espero que tenha gostado do viu por aqui e espero ter a honra de seu retorno. Sua opinião é muito importante, conto com seu comentário. Beijinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário