Café a moda antiga

0

Pode ser Coado, Espresso. Mocha, Macchiato, Cafe au Latte, Cappuccino e uma infinidade de variações e modos de preparo, além dos exóticos grãos gourmet, o cafezinho ao longo de mais de 1500 anos é presença garantida nas xícaras, copos, taças ou canecas ao redor do mundo. A segunda bebida mais consumida, só perde para a água, desde sua descoberta tem conquistado apreciadores fiéis que não vivem sem ela nem por se um dia. Do cafezinho de boteco aos grãos mais caros do mundo, a bebida é a mais democrática entre qualquer outra já conhecida. Ela conforta, refaz as energias, relaxa, refresca, une pessoas ao redor das mesas seja em casa ou qualquer local onde ele esteja presente.


Quem acompanha com frequência a fanpage, já deve ter notado o quanto gosto de publicar imagens relacionadas ao café. Mas não são apenas das imagens que gosto, o café faz parte da minha vida desde muito pequena, tanto que  meus pais me levavam nas colheitas em que trabalhavam nas fazendas do interior do norte do Paraná, região tradicional na cultivo cafeeiro. Por muitos anos meu pai só comprava café em grão, minha mãe torrava e moia os grãos em casa, sempre a noite, a casa ficava toda defumada, o cheiro ia rua afora. Me lembro que aos 6 anos, ganhei de minha mãe, uma canequinha de esmalte com estampa de florzinhas que usei até furar, literalmente! Ela me dava um cafezinho puro, e depois uma canecona de café com leite que sou viciada até hoje.
Em casa, era sagrado o café pela manhã, meus pais a mesa contando os sonhos que tiveram, e a filharada ouvindo e contando os seus também.
Cresci com esse hábito, café e conversa em volta da mesa da cozinha, a tarde tinha mais uma rodada, minha velha preparava (e ainda prepara) mais um bule da bebida mais apreciada pela família, bebericávamos felizes da vida, ahh que saudade! Anos depois, já adulta, trabalhei em restaurantes de hotel, dois deles categoria luxo, onde tive a oportunidade de aprender preparar diferentes receitas utilizando a bebida, algumas muito conhecidas, participei de alguns workshop de barista onde aprendi detalhes bem interessantes a respeito de um bom café, que para uma simples apreciadora foram bem valiosos, não apenas no trabalho mas alguns detalhes adotei no preparo do meu cafezinho caseiro.


Se você também é uma dessas pessoas que simplesmente não podem começar o dia sem uma bela xícara de café e religiosamente ao acordar vai direto preparar a beberagem e/ou daqueles que precisam reforçar as níveis de cafeína durante o dia, com certeza sabe o quanto é maravilhoso apreciar um cafe coado, aquele do coador de pano dos tempos da nossa avó.
Nos nossos tempos modernos quase não se usa mais o coador de pano; que foi substituído pelo filtro papel, pelas cafeteiras elétricas, pelas máquinas de expresso como Nespresso e Dolce Gusto, e até mesmo pelas famosas redes de cafeterias. Felizmente, o bom e velho café passado no saco (risadas) como se fazia antigamente ainda tem seu lugar de destaque nos bules dos mais fanáticos cafezeiros.

Mas e aí; como um bom bebedor você sabe como preparar o melhor café a moda antiga
Parece algo bobo pra se perguntar, mas te garanto que existem detalhes que fazem toda diferença na hora de coar o seu cafezinho.
Com tanta prosa pra contar, acabei preparando um pretinho pra ajudar a me inspirar para este artigo (rs), verdade; passei um cafezão e eu e minha filha que é mais viciada do que eu, por incrível que pareça, compartilharmos o momento. Aproveite e corra preparar o seu também pra acompanhar a leitura do artigo que está uma delícia.


Aqui vão algumas dicas preciosas de especialistas no assunto que irão ajudar quem ainda não possui todas as habilidades na hora de preparar o pretinho básico de cada dia.

☕ Mantenha o pó e grãos de café em local bem fechado, ao abrigo da luz e de cheiros fortes. O ideal é guardar o café moído em vasilhame escuro, lata ou plástico de boa qualidade e deixar na geladeira. A geladeira ajuda a conservar melhor as propriedades do café. Em uma embalagem hermeticamente fechada, ele não vai umedecer. Se o café for guardado em um pacote mal vedado, o pó vai umedecer e absorver todos os outros aromas da geladeira, alterando seu sabor e aroma. Fique atento os 4 inimigos do café: Luz, calor, umidade e oxigênio.
Outra dica em relação ao armazenamento é nunca misturar o restinho do pó antigo com o novo, ao comprar, prefira embalagens menores, assim você terá sempre um produto fresquinho dentro do prazo de validade, o que pode assegurar também a qualidade do armazenamento. Caso não tenha um pote com fechamento hermético, deixe o pó na embalagem original e feche bem com fita adesiva.

☕ A moagem indicada para o café coado é a média/fina. É possível comprar cafés especiais em mercearias ou lojas especializadas e pedir para moê-lo na hora, na moagem desejada. Você também pode adquirir um moedor caseiro manual ou elétrico, o que vai te garantir um café mais saboroso e aromático moído na hora. Se preferir a praticidade do café em pó, fique atento na escolha de uma marca de qualidade, hoje existem muitas que deixam a desejar, o que pode comprometer totalmente o resultado final.

☕ A quantidade de pó vai do gosto de cada, mas lembre-se, para obter um café forte e encorpado, a quantidade excessiva de pó não vai te trazer o melhor resultado, isso porque a torra é quem confere essa característica além da espécie do grão. Grãos arábica são mais suaves que robustas, que é o que compramos em supermercados, ou seja, o café comum. Quanto a torra, quando mais intensa, mais forte o sabor do café, torras médias e claras costumam resultar em cafés mais suaves e com delicada acidez. Existe uma medida clássica padrão de preparo para coadores de pano: de 6 a 8 colheres de sopa de pó por litro de água e 3 a 4 para meio litro.

☕ Se optar por coador de pano, faça a troca regularmente, o ideal é troca-lo a cada um mês de uso caso você utilize todos os dias. Antes do primeiro uso, o truque é preparar  o coador deixando por alguns minutos emergido em água quente com um pouco de pó de café, depois é só enxaguar bem. Lave somente com água, não utilize sabão ou detergente, guarde em pote fechado hermeticamente para não ter problemas com bactérias ou adores de preferencia na geladeira.

☕ Se preferir usar os práticos coadores de papel, ok, não há nenhum problema quanto a isso. O que você deve fazer é simplesmente umedecer o filtro já devidamente colocado no porta filtro (coador de plástico), despejando água quente em cima dele e em seguida descartar toda essa água para só então começar a filtrar o café. Fazendo isso você retirará possíveis resíduos do cheiro do próprio papel proporcionando a sua bebida um sabor e aroma mais puro possível. Lembre-se! O filtro de papel é descartável, não reutilize.

☕ Escalde com água bem quente todos os utensílios utilizados, incluindo xícaras e jarra para que a temperatura permaneça estável durante o preparo e o consumo. Faça o mesmo processo com o coador de pano, já que guardado em geladeira precisará ser bem aquecido para não baixar a temperatura da água ao coar. 

☕ Não ferva a água, nunca! Desligue logo que começar aparecer bolhas (um ponto antes de ferver, de 90° a 96°C). A água fervida queima o pó e deixa um gosto amargo no seu café. Use sempre água filtrada ou mineral, a água da torneira por conter cloro altera o saber da bebida. 
☕ Na hora de preparar o café, a água deve ser jogada em fio sobre o pó, não mexer ou misturar com a colher (fazia-se muito isso em casa). Coloque a água no filtro ou coador até a metade para saturar o pó de café. Aguarde por 5 segundos para o café apurar. Isto permite que o pó seja hidratado uniformemente e comece a desenvolver sabor e aroma. Adicione vagarosamente o restante da água em círculos pequenos e uniformes para cobrir todo o pó. Aprecie imediatamente.
Outro erro comum é guardar café adoçado em garrafa térmica, com o tempo, o café vai perdendo o gosto agradável, vai oxidando e fica com aquele gosto de café requentado. Se colocarmos o café coado em uma garrafa térmica, ele vai ter validade de uma hora, então caso você precise deste recurso, o ideal é preparar-lo em menor quantidade e adoça-lo no momento do consumo.

☕ Segundo os especialistas, não se adoça o café, mas praticamente todos nós temos este costume.
Uma dica pra aprender a beber sem adoçar é tomar o primeiro gole amargo, depois adoce, alterne entre amargo e adoçado diminuindo a quantidade de açúcar gradativamente.


☕ Você sabia? 

Pomposamente chamado ''ouro negro'', o café tem histórias incríveis pra contar.
Conheça agora algumas curiosidades ao redor do mundo sobre o café.

Origem divina:
Judeus e muçulmanos disputam o título de quem é o precursor do café no mundo, já que constam registros da bebida nas duas religiões. Conta-se, por exemplo, que em certa época Maomé estava muito doente e recobrou o seu ímpeto após tomar uma boa dose de café, que foi trazido pelo arcanjo Gabriel a pedido de Alá. No quarto livro do Pentateuco (Números), também há referências à bebida, em uma citação onde Deus diz a Moisés que quem quisesse fazer um voto especial de nazireu deveria se abster de vinho e bebida forte. Esta “bebida forte” seria o café?

George Washington por trás do café instantâneo!!!
George Washington foi um dos precursores do café instantâneo, criando um novo método para armazenar e produzir café em 1906. Mas não se trata do presidente americano, mas sim de um inventor e empresário anglo-belga, que teve esta idéia após notar uma substância em pó que se formou sobre o bico de sua cafeteira de prata.A invenção do “primo distante” da família Washington foi se popularizando aos poucos e na Primeira Guerra Mundial, de 1914 a 1918, a produção de sua empresa foi exigida pelo governo norte-americano para alimentar e animar os jovens na Europa. Após a guerra, ela se tornou uma mania mundial.

Café recolhido do cocô vale ouro:
Originário da Indonésia, o Kopi Luwak (ou Civet Coffee) é considerado o café mais caro do mundo (600 dólares, por meio quilo). É obtido após um intrincado processo, na qual os grãos são obtidos após serem processados pelo sistema gastrointestinal dos pequenos felinos e expelidos em suas fezes. No Brasil, isto não é tão diferente assim, já que o café mais caro produzido em solo brasileiro também é obtido nos dejetos de animais - Jacu Bird Coffee, conseguido nas fezes da ave jacu, pode custar até R$ 272 o quilo.

- Seu nome cientifico é Coffea.

- O café é a segunda bebida mais consumida no mundo, perdendo apenas para a água.

- Seu cultivo ocorre em países quentes da America, Ásia e África.
- Uma xícara de café contém tantos antioxidantes como 3 laranjas.

- A cafeína extraída na produção do descafeinado é vendida à indústria farmacêutica.

- Adicionar café em pó à terra contribui para plantas mais verdes e saudáveis.

- A planta do café demora 5 anos a atingir a maturidade e só produz entre 450 e 900 gramas de grãos por época, é por isso que o café é caro!

- Beethoven adorava café e separava precisamente 60 grãos para cada chávena de café que preparava.

- Na Turquia e na Grécia, é tradição servir o café às pessoas mais velhas primeiro.

- Um “kahveci” é um especialista na preparação de café turco.

- O café contém cerca de 1200 propriedades químicas diferentes.

- A palavra “café” já foi utilizada para denominar o vinho.

- Trata-se do segundo elemento mais comercializado do mundo. O petróleo é o primeiro.

- As primeiras mudas da Europa foram conquistadas pela Holanda em 1616.

- Cerca de 25% do café consumido mundialmente é proveniente do Brasil.

- Baristas são profissionais especializados na preparação de café.

-  Cafemancia é a adivinhação do futuro através das borras de café.

- 14 de Abril é o Dia Internacional do Café, no Brasil também celebramos o Dia Nacional do Café no dia 24 de Maio.

- Desde sua origem, no Oriente, sempre existiram casas especializadas em servir a bebida e sempre esteve associado a requinte, urbanização e intelectualidade

- Em 1785 houve uma Revolução de Café na Prússia porque o consumo de café era apenas permitido à nobreza, Igreja e altos oficiais.

- A primeira publicidade ao café surgiu em formato de panfleto em 1651 e está atualmente em exibição no Museu Britânico.

- A origem da palavra café produz algumas divergências. Alguns historiadores acreditam que tenha surgido de Kaffa, suposto local de origem da planta, outros sustentam que o termo provém da palavra árabe qahwa  que significa vinho.

- Foi descoberta por volta de 525 no interior da Etiópia. Sendo a primeira referencia sobre seu uso comestível datado de 575 nos manuscritos do Iêmen que falam acerca da lenda de Kaldi, onde um pastor notara que suas ovelhas ficaram mais espertas depois que consumiram a estranha planta.

- Os etíopes se alimentavam de sua polpa doce, por vezes macerada, ou misturada em banha, para refeição. Seu suco também poderia ser fermentado para ser transformado em bebida alcoólica.

- O café foi incluído na legislação Turca onde as esposas poderiam pedir divorcio caso os maridos não provessem a casa de uma cota especifica do produto.

- Chegou a ser proibido em Meca pelo governado Khair Begem 1511, Murad III (1574-1595) e pelo sultão Murad III (1574-1595) que o considerou “bebida do diabo”. A igreja católica também o demonizou por ser oriundo do lado pagão do mundo, o Oriente.

- Foi santificado pelo papa Clemente VIII que propôs batizar a bebida para torná-la cristã. Por volta de 1570, o café foi introduzido em Veneza, Itália, mas a bebida, considerada maometana, era proibida aos cristãos e somente foi liberada após o papa Clemente VIII provar o café.

- O café tornou-se requinte nas mesas palacianas após o embaixador turco Suleiman Aga ter presenteado Louis XIV rei da França com grãos de café. Louis XV gastava cerca de €11,000 | R$25,000 em café por ano para as suas filhas

- No inicio o tradicional café com leite e pão com manteiga era garantido apenas para quem tinha grana suficiente para pagar o auto preço do trigo e da manteiga.

- O café que chegou ao Brasil no século XVIII, proveniente da ilha Martinica que pertenciam à França. Segundo a tradição, o produto foi contrabandeado pelo português Franscisco de Mello Palheta que seduziu a esposa do governador da ilha com intuito de conquistar o produto.

- O termo “café-com-leite” é geralmente aplicado para algo – ou alguém – sem importância ou que não influencia em nada. O termo é bastante antigo. Alguns acreditam que tenha surgido ainda no Brasil colônia para definir os mulatos, meio negros, meio brancos.

- A República “Café-com-leite” assumiu importância entre os historiadores para definir um acordo político secreto em vigor durante o período do Brasil Oligárquico – 1894 e 1930 – quando as elites produtoras de café paulista e leite mineiro controlavam as eleições dos presidentes civis.

- Alguns historiadores apontam que o café atrasou a industrialização no Brasil. Outros pensam que o capital adquirido com o café foi fundamental para impulsionar a industrialização.

- Getulio chegou a ordenar a queima de 80 milhões de sacas de café em função da crise de 1929.

- O café expresso foi criado em 1906 por George Washington…mas calma, não se trata do presidente do EUA. Este George era um empresário da Guatemala.

- Existem mais de 25 tipos de café, sendo os mais populares a Robusta, com teor de cafeína mais elevado; e a Arábica, dona de sabor mais suave e quantidade menor de cafeína.

- A palavra “Cappuccino” surgiu no século XVI estando associado a Ordem dos Capuchinhos, reconhecidos por seus capuzes ou Capuccinos , em italiano.

- Existem muitas formas de preparar Café. No Japão ele é servido gelado. Na frança, misturado com chicória. No Oriente Médio e na África recebe pitadas de canela, alho ou gengibre. Na Itália pode ter tiras de limão. Na Áustria, o café é bebido juntamente com figos secos; na Bélgica, pedaços de chocolates são servidos no interior das xícaras, enquanto na Grécia, a bebida é acompanhada de um copo d’água bem gelado. Na Alemanha é adoçado com leite condensado ou chantilly, enquanto na Suíça é batizado com Kirsch, um tipo de licor.

-  Existem muitas pesquisas sobre os benefícios e maléficos do café. Alguns cientistas propõem que a bebida atua no sistema nervoso produzindo estado de alerta, auxilia o coração, diminui a chance de adquirir Mal de Alzheimer e reduziria o nível de açúcar no sangue. Seu exagero, no entanto, provocar taquicardia, agrava lesões no  aparelho digestivo, interfere na absorção de cálcio, escurece os dentes, e provoca insônia. A cafeína também aumenta o poder de anestésicos como aspirina e paracetamol.

- A cafeína pode ser encontrada em outros produtos além do café. Para você ter uma idéia 240 ml de café possui de 104 a 192 mg de cafeína, enquanto que a mesma dosagem de energético e chá gelado possuem 70 a 85 mg e 9 a 50 mg respectivamente. Enquanto que 200 ml de Coca Cola, por exemplo, possui 19 mg de cafeína.

E então! Gostaram do meu café a moda antiga? No próximo post vou trazer algumas receitinhas que eu já tive o prazer de preparar e degustar para que vocês coffee lovers experimente também, que tal? Todos convidados pra tomar aquele cafezinho comigo!! rsrs.
Tenho certeza que vocês vão gostar, um grande beijo com batom vermelho pra todos e até a próxima.

Com carinho e cheirinho de café
Donna Pepper



                     
















Referencias:
prazeresdamesa.uol.com.br
viajeaqui.abril.com.br
drinkgoodcoffee.com.br
starbucks.com.br
chavena.com
wikipédia

Donna Pepper

Muito obrigada por sua visita, espero que tenha gostado do viu por aqui e espero ter a honra de seu retorno. Sua opinião é muito importante, conto com seu comentário. Beijinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário